Quartel do 3º GBM promove 1º Torneio Fireman de Jiu Jitsu.
Publicado: 17 de abril de 2017 - Hora: 13:59

Na quinta-feira, 22 de dezembro de 2016, ocorreu no 3º Grupamento Bombeiro Militar – Ananindeua o I Torneio Fireman de Jiu Jitsu, vinculado ao Projeto Escola da Vida – PEV, coordenado pelo Cabo BM Coelho, faixa preta de jiu jitsu. O Evento teve a participação de 53 crianças e adolescente: do programa “Fábrica de Campeões” da Academia Bomba Team; além do 3º GBM, os quartéis que possui a modalidade esportiva foram convidados, 20ª GBM e 25º GBM, sob a responsabilidade do 2º SGT BM Herminho, faixa marrom de jiu jitsu e 1º SGT BM Chagas, mestre de capoeira, respectivamente.

No torneio tiveram várias lutas, divididos em categorias de mirin a juvenil, premiadas com medalhas cedidas pela federação Nipo Brasileira de Jiu Jitisu, todos os atletas foram certificados pela participação do evento pelo Comandante da Unidade TCel QOBM Albuquerque.

O torneio foi realizado em homenagem ao programa social “Fábrica de Campeões”, idealizado pelo Cabo Coelho desde 2008, vinculado ao PEV Ananindeua, onde várias crianças e adolescentes participam de campeonatos nacionais e internacionais de jiu jitsu.

Os atletas do PEV que se destacam são: Diego Ferreira, 13 anos, faixa laranja, possui os títulos de campeão Norte Brasileiro 2015 em Macapá, vice-campeão Brasileiro 2016 em São Paulo e vice-campeão no Internacional de Jiu Jitsu 2016 em Belém; Lucas Rocha, 13 anos, faixa amarela, é campeão do Campeonato Mundial 2016 em São Paulo; Carlos Aguiar, 11 anos, faixa amarela, foi terceiro colocado no Campeonato Mundial 2016 em São Paulo e Campeão Internacional de Jui Jitsu 2016 em Belém; Lucas Aguiar, 16 anos, faixa branca, monitor do PEV, segundo colocado no Campeonato Internacional Jui Jitsu 2016 em Belém e campeão Norte Brasileiro 2016 Belém.

Para o Cabo BM Coelho, instrutor do PEV, a modalidade esportiva jiu jitsu tem sido utilizada no Projeto como importante instrumento de inclusão social, criando melhor oportunidade no meio em que vivem e transmitindo valores e normas de conduta. Ainda, a prática esportiva objetiva fazer com que exercitem não somente o corpo, mas também a mente, para que possam obter resultados mais expressivos na sua vida, seja ela profissional, estudantil ou dedicado ao lazer.

 

De acordo com a Cabo BM Valéria, instrutora do PEV, a inserção do esporte do artigo 6º da Constituição Federal brasileira é de extrema importância para a sociedade, pois como um direito social garantido constitucionalmente, teria sua prática fomentada não só pelo Estado como pela sociedade como um todo. Com o incentivo ao esporte, espera-se que, assim como a qualidade de vida dos alunos diretamente envolvidos, a criança evolua, pois, uma criança que pratica esporte regularmente cresce com mais saúde; relaciona-se melhor com a sociedade, tem um rendimento melhor na escola, pois tem maior disposição para estudar e maior facilidade para relacionar-se com pessoas do ambiente em que está inserido.

 

Texto e fotos: Quartel do 3º GBM

Compartilhar: