DEFESA CIVIL ESTADUAL DO PARÁ RESSALTA CUIDADOS COM SAÚDE E ALERTA SOBRE A PROBABILIDADE DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NO PARÁ

 

 

 

 

 

Sem as chuvas, os solos não conseguem repor e/ou manter a umidade, logo, o ar torna-se seco, poluído e pesado sendo ressaltado os cuidados individuais, tais como: lavar as mãos com frequência e evitar colocá-las na boca e nariz, evitar a prática de exercícios físicos ao ar livre e manter-se hidratado, bem como o uso constante do protetor solar.

Com a estiagem, é comum o crescimento de ocorrências de incêndios florestais, o vento faz com que o fogo se propague rapidamente e sem controle, fazendo com mais áreas sejam afetadas pelas queimadas, comprometendo a vida vegetal e animal dessas localidades.

Segundo Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (SEMAS), no mês de julho, foram registrados 387 focos de queimadas, através do satélite de referência (AQUA_M-T). As áreas estão divididas em incêndios florestais contabilizando cerca de 248 queimadas e 139 em locais de pastagem e perímetro urbano. Os principais municípios que tiveram mais ocorrências de queimadas no mês de julho foram: Altamira, Itaituba e Novo Progresso.

Ademais, tendo em vista dados registrados na última terça-feira (03) do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), os grandes riscos de incêndios vigentes no mês de agosto estão localizados nos municípios de Belém, Castanhal, Conceição do Araguaia, Dom Eliseu, Novo Repartimento, Redenção, São Félix do Xingu, Tome-Açú e Xinguara.

Fique atento aos alertas e orientações da Defesa Civil do seu município e do Estado.

Texto: Adria Pereira
Arte: Fabricio Reis