A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil atua em força tarefa para trazer os corpos das vítimas do acidente para sua terra natal do estado do Pará.


A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil atua em força tarefa com diversos órgãos do Estado do Paraná: Perícia Cientifica, Instituto Médico Legal, Defesa Civil Estadual e Secretaria de Segurança Pública do Estado, e comitiva do Estado do Pará: Defesa Civil do Estado, SEGUP e Polícia Civil, os quais foram possíveis de forma presencial agilizar as estratativas legais para trazer os corpos das vítimas do acidente para sua terra natal.

Tomado o conhecimento do acidente ocorrido na BR 376, envolvendo o ônibus da companhia TC – Turismo envolvendo 19 óbitos, a Defesa Civil Estadual foi acionada por meio da Secretaria Estadual da Segurança Pública e deslocou de forma imediata o Major QOBM Bruno Freitas – Assessor, para se deslocar até o Estado do Paraná visando agilizar processos de liberação e reconhecimento de corpos para trazer de forma rápida ao estado do Pará, visando minimizar o sofrimento dos seus familiares, essa foi a prioridade da missão, avaliar e verificar as vítimas que ficaram hospitalizadas com essa tragédia.

O Governo do Estado do Pará tomou a medida imediata de fretar o avião visando agilizar essa logística de transporte, a qual se dará no dia 27/01/21.

SOBREVIVENTES – Dos sobreviventes que estão no estado de Santa Catarina, apenas uma mulher, de 35 anos, será trazida para Curitiba, pelo Corpo de Bombeiros do Paraná, e seguirá viagem ao estado do Pará, por meio do voo fretado. Junto com ela, em Garuva (SC), em um abrigo, estavam outras quatro pessoas que decidiram não voltar ao Estado do Pará e ficarão em Santa Catarina. Ainda em SC, na cidade de Joinville, dos oito sobreviventes que estavam em um hospital, apenas dois continuam internados, os outros seis já foram liberados e também optaram por ficar na cidade do Sul.
Sendo assim, dos 13 sobreviventes que estão em Santa Catarina, apenas a mulher vai voltar ao estado de origem. Além dela, familiares que vieram reconhecer seus entes também retornarão neste voo. Os sobreviventes trazidos para Curitiba continuam internados.
IDENTIFICAÇÃO – A Polícia Científica e a Polícia Civil do Paraná atuam de maneira integrada e já identificaram 17 corpos, dos 19 que estão no Instituto Médico Legal (IML). Os papiloscopistas da Polícia Civil fizeram a identificação das vítimas através de exames necropapiloscópicos, processo pelo qual coletam as impressões digitais e realizam o confronto com padrões enviados pela Polícia Civil do Pará.
Outros dois corpos, de menores de idade, estão sendo identificados, pela Polícia Científica, por um processo mais complexo, o exame de DNA. “A forma de extração e de análise deste exame são mais complexos e assim que ficarem prontos enviaremos à Polícia Científica do Pará. Sendo assim, vamos liberar estes dois corpos, juntamente com os outros 17, àquele estado para que ele proceda com as deliberações finais”, explicou o diretor da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochoki.

Defesa Civil somos todos nós”.