Segundo dia das Olimpíadas do CBMPA é finalizado em Outeiro
Publicado: 12 de julho de 2017 - Hora: 09:07

Segundo dia das Olimpíadas do CBMPA é finalizado em Outeiro

Chegou ao fim nesta manhã de quinta-feira, 22, as Olimpíadas CBMPA, evento que antecede o aniversário Corpo de Bombeiros (Nacional e Paraense), com atividades voltadas para o público interno e externo. O primeiro dia de provas foi realizado no Estádio Olímpico Mangueirão, sendo a primeira Olimpíada Bombeiro Militar da Região metropolitana.

O objetivo das Olimpíadas dos Bombeiros é cultivar as atividades esportivas, trabalhar a preparação física, intelectual e emocional e o constante treinamento da tropa, além de fortalecer o espírito de companheirismo. O segundo e último dia das Olimpíadas aconteceu na Praia Grande de Outeiro com provas técnicas e práticas em modalidades aquáticas.

Por trás das olimpíadas o maior trabalho dos Bombeiros é em servir a sociedade, melhorar seu empenho e preparo para que os bombeiros militares não falhem e, a cima de tudo, reconhecer e viver o mais importante que é salvar vidas, dar o suor, seu sangue e a vida. As olimpíadas é uma somatória de esforços onde todos os militares caminham de braços dados.

Com o final das olimpíadas, tivemos o êxito total em que foi feito, no que foi planejado, e o objetivo foi concluído, foi a maneira de reacender a chama, isso é o espírito olímpico. A valorização, o reconhecimento, o descobrimento do potencial de cada pessoa, de cada equipe, da própria unidade.

As Olimpíadas do CBMPA é fundamental para os militares que irão participar da operação verão e serve para testar os seus limites. É o momento em que o bombeiro vai conhecer suas capacidades. É um tempo de ajuda no seu reconhecimento de obstáculos onde é possível ver onde se pode melhorar, tanto em ação como em atitudes no seu posicionamento de salvamento e resgate.

“A chama da olimpíadas foi acesa e não irá se apagar, como uma fênix que nos representa, temos que cuidar e realizar nosso trabalho ainda mais com garra e vigor para que a chama nunca se apague, que no mês de julho nós iremos representar nos lugares que tivermos na operação veraneio cobrindo e dando apoio nas praias, balneários e estradas. Agradeço aos envolvidos, os militares que se inscreveram, aos familiares, aos alunos que puderam perceber como é um pouco das atividades diárias do Corpo de Bombeiros”, afirmou o Coronel Alexandre Costa.

A Major Mônica fala da importância do apoio e da participação dos alunos nas Olimpíadas CBMPA. “Refletir a teoria que eles aprendem nas salas de aula e a prática. Estar atento nas provas que são profissionais onde praticamos e exercitamos no dia a dia, na operação verão, no combate a incêndio, no salvamento e em diversas outras modalidades que o Corpo de Bombeiros atuam. É uma forma de fazer com que eles amadureçam e percebam a parte teórica junto com a prática”.

Vindo da reserva o Tenente Dias, aos 55 anos fala como é voltar a ativa e participar das olimpíadas. “É uma grande satisfação e prazer estar participando desta competição, que é a Olimpíada dos Bombeiros, que mostra a união dos militares que faz parte de nós. E, principalmente pra mim que já fui pra reserva e estou de volta. Servir de exemplo para os mais novos e os alunos do Curso de Formação de Oficiais e Praças é essencial para que eles mantenham o consentimento físico e técnico para que estejam aptos aos nossos serviços e principalmente motivados”, ressaltou.

A cada novo dia as mulheres vêm assumindo novas responsabilidades com competência e sensibilidade. Por reconhecer a importância da mulher o Corpo de Bombeiro Militar, as olimpíadas do CBMPA deu a oportunidade das mulheres participarem. Elas garantem que todas as atividades do Corpo de Bombeiros podem ser exercidas por mulheres ou homens, igualmente, sem distinção.

A aluna Stephanie Renteiro que participou da modalidade de salvamento aquático na bateria de tubo e nadadeira teve um ótimo rendimento físico e boa colocação na prova e fala sobre seu desempenho e participação nas olimpíadas: “Primeiramente, foi uma honra participar, minha participação veio de um convite das cabos que viram a necessidade de criar e armar uma equipe feminina e fiquei mais honrada por ainda ser aluna, não são todos que tem essa oportunidade, então participar e ter essa experiência é importante pois a parte teórica é muito diferente da prática, e vir a praia e fazer tudo aquilo que você aprende em sala de aula é diferente, mas prazeroso”, disse a aluna.

Permitir que o corpo feminino participasse das atividades foi uma honra para a equipe de mulheres que estavam presente na Praia Grande do Outeiro. E, o desejo delas é de que na próxima olimpíadas a força das mulheres esteja maior.

A Cabo Vânia Cristina, foi a responsável por montar a equipe e falou da importância das mulheres nas olimpíadas. “O objetivo principal em montar essa equipe feminina foi justamente para incentivar o lado operacional do corpo feminino e dar exemplo para o corpo de alunos que está entrando  e incentivar. Além de despertar na corporação que existe o corpo feminino e que possam ter modalidades específicas para nós mulheres por que sabemos que há uma diferença fisiológica, então, acaba sendo um pouquinho desleal a competição entre homens e mulheres, é importante fortalecer que mais equipes formadas por mulheres possam estar presente nas próximas edições, ressaltou.

Representando o Comandante Geral, o Sub Comandante Coronel Lima falou sobre as Olimpíadas do CBMPA e deu gratidão aos militares envolvidos. ” É incrível ver a força de homens e mulheres carregando a instituição nas costas, estão fazendo muito bem seus papéis, independente de quem esteja aqui ou não, o que se percebe é que o CBMPA continua vivo, continua perene, ela continua cumprindo seu papel, e acima de tudo cumprindo com a alma e coração o que nos foi passado, e em nosso sangue a missão de ser bombeiro. E quando nós vemos UBMs participando de uma competição saudável, que é mais do que ser campeão, mas sim mostrar nossa união, companheirismo e salvar vidas”.

Nas modalidades combate a incêndio, Salvamento terrestre/altura e Salvamento aquático as provas foram realizadas pelas 8 Unidades Bombeiro Militar participantes: 1ºGBM, 3ºGBM, 21ºGBM, 26º GBM – Icoaraci, QCG, 1ºGBS, 1º GMAF e 27° GBM – Mangueirão.

“É um privilégio, nós fomos os campeões, mas na realidade todos nós somos, o esforço de ser militar no dia a dia, é ser vencedor. Que nossa vitória desperte a chama que tem em todos nós, e a vontade de ser bombeiro todos os dias. Todos são campeões, desde o militar que acordou cedo pra montar os equipamentos, os alunos, os voluntários e os que estão nas ruas salvando vidas. Para o 3°GBM o prêmio é uma forma de fortalecer os laços e motivar nosso trabalho, a olimpíada vem como forma de corrigir e moldar para que nós possamos levar um bom serviço a comunidade, é fazer com que nossas deficiências sejam superadas. Eu me sinto vitorioso mas a minha tropa é quem é a verdadeira campeã”, finalizou o Tenente Coronel Albuquerque Comandante do 3° GBM.

O ranking Final
Modalidade: Combate à incêndio.
3° Lugar: 27° GBM
2° Lugar: 1° GBS
1° Lugar: 1° GBM
Modalidade: Salvamento Terrestre/Altura.
3° Lugar: 1° GBM
2° Lugar: 1° GBS
1° Lugar: 3° GBM
Modalidade: Aquática
3° Lugar: 3° GBM
2° Lugar: 1° GMAF
1° Lugar:  26° GBM Icoaraci
Campeão Geral
3° Lugar: 26° GBM Icoaraci
2° Lugar: 1° GBS
1° Lugar: 3° GBM

Texto: Carlos Yury

Fotos: Sgt Carlos e Sgt Silva (Colaboração: Carlos Yury)

 

Compartilhar: