Corpo de Bombeiros realiza salvamento em altura na Avenida Independência, em Belém
Publicado: 15 de Maio de 2018 - Hora: 15:08

Corpo de Bombeiros realiza salvamento em altura na Avenida Independência, em Belém

Domingo, 13 de maio, dia das mães, uma ocorrência que mudou a vida da Joelma Patrícia e dos militares do Corpo de Bombeiros de Ananindeua que foram acionados por volta das 11h40 da manhã para realizar um salvamento em altura.

O Cabo Rafael Viana está há 13 anos no quartel do 3° Grupamento Bombeiro Militar e foi um dos militares que trabalhou no resgate e diz que o diálogo com a vítima é importante para estabelecer a confiança. A conversa foi referente a família, sobre os filhos, e por ser o dia das mães era importante ela estivesse ao lado dos filhos.

“A vítima aparentava estar com medo e não queria estabelecer contato algum, o que dificultou, pois precisamos desse contato inicial para estabelecer uma confiança e trazê-la para nosso campo de segurança, porque ela estava ameaçando se jogar. Quando o Cabo Willamys observou que ela iria pular, em uma ação rápida ele a agarrou, fazendo de tudo para que não se soltasse, e em seguida cheguei até eles para colocar os equipamentos de segurança e realizar o processo de resgate e descida com a vítima”, explicou o Cabo Rafael Viana.

Joelma tentava se jogar de uma torre de alta tensão de 25 metros de altura, na avenida Independência, próximo à estrada do 40h, em Belém. Uma viatura de busca e salvamento foi encaminhada para o local e recebeu  suporte e apoio de uma unidade de resgate. Oito militares do 3° GBM trabalharam empenhados no serviço de resgate da vítima.

O 1° Tenente J. Neto estava como comandante de socorro e explicou que pela manhã antes da ocorrência a guarnição fez a checagem minuciosa dos equipamentos e testou para caso acontecesse alguma ocorrência da natureza. “Checamos todos os materiais porque na hora da ocorrência não podemos falhar. Por volta das 11h40 fomos acionados e cerca de quatro minutos já estávamos no local, foi feito o isolamento da área e passadas as orientações de segurança para os militares e apoio à vítima”, explicou.

O Cabo Willamys Oliveira foi o primeiro a chegar a vítima e explica o sentimento durante o resgate. “Um sentimento de medo, tensão, nervosismo e o trabalho em altura é um resgate diferenciado que mexe com nosso psicológico, todo cuidado é mínimo. Uma segunda chance de viver dependia de nós”, afirmou.

O militar afirma ainda que é muito gratificante ver a vítima em bom estado com sua família. “Não há salário que pague salvar uma vida, quando vemos o desfecho que deu certo é gratificante é muito emocionante saber que o trabalho em equipe mais uma vez deu certo, é a melhor sensação do mundo”, finalizou.

A Joelma Patrícia foi pessoalmente hoje, 15, no quartel de Ananindeua agradecer pelo resgate e afirmou que renasceu graças ao trabalho do Corpo de Bombeiros. “Sou grata a Deus e aos militares que fizeram meu resgate, nunca imaginei que seria capaz de fazer o que fiz, mas fico feliz em ter a oportunidade de abraçar meus filhos e saber que podemos contar com o socorro e apoio dos bombeiros”.

Após várias conversas, sua família e moradores da área não conseguiram persuadi-la a descer, então chamaram o Corpo de Bombeiros que chegou ao local em quatro minutos, a operação durou 40 minutos. Após o resgate, ela foi atendida pelos militares da unidade de resgate e foi encaminhada para a UPA do Icuí.

Somente neste ano, o quartel de Ananindeua registrou 1921 ocorrências. Cerca de 27 foram salvamentos em altura e terrestre.

Em casos de resgate, incêndio e salvamentos acione o Corpo de Bombeiros através do número 193 disponível em todo Pará.

 

Texto: Ascom CBMPA
Fotos: Sargento Carlos

Compartilhar: