Mãe da criança que foi salva em Salinópolis agradece os Bombeiros
Publicado: 12 de julho de 2017 - Hora: 11:13

Neste sábado (08), Aline Patrícia Nogueira, mãe da pequena Ila Daniela Nogueira de 2 anos, que sofreu afogamento de grau 4 na praia do Atalaia em Salinópolis na última quinta-feira (06), agradeceu a equipe dos bombeiros que realizou o salvamento da filha.

Ila Daniela é gêmea com Ana Luiza, e já encontra-se em sua residência. A mãe recebeu a visita da equipe dos bombeiros, e disse emocionada: “Quero agradecer os guarda vidas da praia do Atalaia, que fizeram o salvamento da minha filha, se não fosse eles, eu não estaria com ela aqui “.

Entenda o caso: A pequena menina estava brincando à beira da praia sob a supervisão da mãe que no momento de falta de atenção permitiu que a filha fosse arrastada por uma forte onda que a fez aspirar muita água e ficar inconsciente. Após esse momento a mãe observou que a filha estava se afogando e chamou os bombeiros para fazer o salvamento. Os militares retiraram rapidamente a criança do meio líquido e fizeram os primeiros atendimentos, após estabilização na barraca dos bombeiros a levaram na Unidade Resgate do CBMPA para o Hospital regional de Salinópolis.

A equipe que fez o salvamento da criança, estava composta pelo Tenente Antoniel Nascimento; Subtenente Walmy de Sousa Dias, Cabo Ana Paula e o Cabo Ailson Lelis que destacou: “Sempre é gratificante ter esse resultado positivo na ocorrência, e quando envolve uma criança deixa a equipe ainda mais emocionada no momento do atendimento, mas faz parte do nosso trabalho, a gente está aqui para dar a resposta e o apoio a sociedade ”, comentou o Cabo.

“Nós trabalhamos com a prevenção, evitando que os acidentes aconteçam, mas quando acontece nós atuamos para minimizar as consequências, e não é sempre que a gente tem esse retorno da vítima ou do familiar da vítima em agradecer o trabalho que foi bem executado. Também não é sempre que reconhecem o esforço de todos os militares que se envolveram na ocorrência”, disse o Tenente Antoniel Nascimento.

De acordo com os guarda vidas existe seis graus de afogamentos, a saber: Grau 1- quando a vítima apresenta muita tosse; Grau 2 – quando apresenta tosse e um pouco de espuma na boca, devido ter aspirado água nos pulmões; Grau 3 – a vítima apresenta mais espuma na boca, o que significa que ela estar com mais água nos pulmões; Grau 4 – apresenta ainda mais espuma na boca e ausencia de pressão radial palpável; Grau 5 – a vítima entra  em parada respiratório e o atendimento se torna de alta complexidade, porque não apresentar respiração; Grau 6 – É o mais alto grau de afogamento, é quando a vítima está em parada cardiorrespiratória e necessita de reanimação e insuflação de oxigênio, o que aumentar a complexidade do atendimento.

 

Texto: Soldado Roclane Damasceno

Fotos: Sargento Carlos Cesar

Compartilhar: