Corpo de Bombeiros alerta sobre raios no período de inverno amazônico
Publicado: 18 de Janeiro de 2018 - Hora: 13:38

Corpo de Bombeiros alerta sobre raios no período de inverno amazônico

As fortes pancadas de chuva em Belém e região metropolitana marcam o inverno amazônico. E com ele, vem a preocupação com outro fenômeno próprio desse período: a maior incidência de raios, o que merece atenção e cuidados especiais de toda a população.

Mas, quem pensa que apenas abrigar-se em um local que pareça seguro é o suficiente, vai um alerta. Mesmo sob edificações podem ocorrer fortes descargas elétricas, que trazem uma série de prejuízos. “Falar ao celular durante uma chuva com incidência de raios, por exemplo, é algo que não se deve fazer em hipótese alguma”, ressalta o coronel Arthur Vieira, do Corpo de Bombeiros do Pará.

De cada três mortes por raios, duas ocorrem em local aberto, a intensidade de um raio chega a 30 mil amperes, o que equivale a 1000 vezes a potência de um chuveiro elétrico. O Pará é o quinto estado do Brasil com mais de raios, são 12,4 raios km2, a região metropolitana de Belém é a quinta capital com 14,7 r km2 e de 2000, equivalente a um campo de futebol, o que significa que o raio caia várias vezes nesta região. Em 2014 foram 121 mortes por raios no Pará.

Fique atento a algumas dicas de prevenção durante esses eventos. “A primeira coisa a se notar é o tipo de nuvem que está se formando. Se ela for negra é sinal de que junto com a chuva virão os raios. Se você sentir os pelos do corpo e os cabelos arrepiarem é sinal de que no espaço em que você se encontra há uma polaridade – nuvem positiva e terra negativa —, por isso a necessidade de se proteger melhor”, detalha.

Se estiver em área descampada, como campos de futebol, fazendas, piscinas ou praias, o ideal é que você se mantenha agachado simulando a posição fetal (curvada). Em caso específico da praia, se mantenha fora da água. O líquido é o maior condutor de eletricidade. Se um raio cair a 100 metros de distância, por exemplo, ainda assim a pessoa que estiver dentro desse ambiente será atingida.

Buscar abrigo embaixo de árvores também é outra situação que se deve evitar durante uma chuva. Qualquer local com altura maior que o chão é perigoso, pois funcionam como “pontas” que atraem os raios. “O ideal é se abrigar em casas e prédios de alvenaria, mas longe de portas e janelas com grade, que também são condutores. Outra boa alternativa são os veículos, isso porque a estrutura metálica dos carros e dos ônibus funciona como uma espécie de cápsula, isolada eletricamente. Mas se você estiver do lado de fora ou perto de um veículo, a situação fica bem perigosa”, orienta o tenente coronel Arthur Vieira.

Outro cuidado importante é com a manutenção dos pára- raios prediais. Eles de fato são muito eficientes para prevenir os raios, mas desde que estejam em perfeitas condições. “Aqui em Belém, o que costumamos ver, são para raios que não tem mais a fiação de cobre por ocorrência de furtos, então esse mecanismo deixa de funcionar e o que deveria ser um aliado durante tempestades com raios, passa a ser um vilão”, finalizou o bombeiro.

Confira dicas de segurança que podem evitar acidentes com raios no período de inverno amazônico:

– Mantenha-se afastado e não trabalhe em cercas, alambrados, linhas telefônicas ou elétricas e estruturas metálicas;

– Se você estiver viajando permaneça dentro do automóvel; ele oferece uma excelente proteção contra raios;

– Mantenha-se longe de árvores;

– Não permaneça dentro d’água durante as tempestades;

– Evite áreas altas, busque refúgio em lugares baixos, se estiver em casa, permaneça longe de portas e janelas;

– Durante uma tempestade, não utilize aparelhos eletrodomésticos, mantenha-os desligados das tomadas e, também, desconecte da antena externa o televisor, assim você reduzirá danos;

– Ao sentir carga elétrica em seu corpo (caracterizada por eriçamento do cabelo e formigamento da pele) jogue-se ao chão;

– Para minimizar o número de pessoas afetadas por um raio, não se junte em grupo. A corrente elétrica pode passar de uma pessoa para outra sem que elas se toquem. Afaste-se de objetos metálicos, especialmente armações de tendas e barracas ou cercas de arame, uma vez que se trata de bons condutores;

– Aprenda a fazer reanimação cardiopulmonar. Cerca de 20% das vítimas morrem, mas muitas vezes podem ser salvas se tratadas de imediato;

– Certifique-se de que a tempestade passou completamente antes de prosseguir seu caminho. Muita gente morre antes do clímax de uma tempestade por se aventurar cedo demais.