Bombeiro Militar do Pará foi avaliador em seletiva de competição mundial
Publicado: 1 de agosto de 2017 - Hora: 10:22

Bombeiro Militar do Pará foi avaliador em seletiva de competição mundial

O Bombeiro Militar, Major Eduardo Alves dos Santos Neto, fez parte da equipe de avaliação na seletiva Nacional para o Desafio Mundial (Word Rescue Challenger – WRC). As atividades foram realizadas no período de 13 a 15 de Julho em Chapecó -SC.

O Desafio mundial de resgate é um evento promovido pela Organização Mundial de Resgate (World RescueOrganisation – WRO), tendo por representante e promotora no Brasil a Associação Brasileira de Resgate e Salvamento (ABRES). 

As seletivas nacionais são etapas de avaliação para classificar as melhores equipes para participarem do Desafio Mundial que será realizado na Romênia. A programação contou com atendimentos simulados, nos quais as equipes demonstram suas técnicas para localizar, acessar e remover vítimas de acidentes de trânsito que estejam presas nas ferragens.

Fundada em 1999, a Organização Mundial de Resgate – WRO é um organismo internacional que incorpora as organizações nacionais de resgate com o ponto de vista da valorização e manutenção de procedimentos de emergência e técnicas para lidar com acidentes de trânsito.Os atuais membros da WRO são: Inglaterra, Canadá, Estados Unidos, Espanha, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Alemanha, Irlanda, Gana, Hungria, Portugal e Romênia e partir de 2013 o Brasil passou integrar o grupo.

A WRO tem por objetivos salvar vidas e reduzir lesões decorrentes dos acidentes, objetivo a ser alcançado de três maneiras:

– Oferecendo treinamento, recursos e sistemas para serviços de resgate de países em desenvolvimento por meio do Programa de Nações em Desenvolvimento.

– Compartilhando conhecimentos técnico e teórico para estabelecer as melhores práticas globais através do Desafio Anual de Resgate Mundial

– Fornecendo condições para o aprimoramento individual das habilidades de resgate e salvamento de indivíduos de países membros e de países em desenvolvimento, por meio do Programa de Bolsas de Resgate.

Por Eduardo Monteiro
Compartilhar: