6º Pelotão do Curso de Formação de Praças Abaetetuba faz visita técnica ao CIABA
Publicado: 25 de maio de 2017 - Hora: 12:45

6º Pelotão do Curso de Formação de Praças Abaetetuba faz visita técnica ao CIABA

Na última terça-feira (16), os alunos Curso de Formação de Praças Bombeiro Militar do 6º PELOTÃO (Polo Abaetetuba), realizaram uma visita Técnica ao Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), a partir da prática da disciplina Técnica e Maneabilidade de Combate a Incêndio (TMI), sob a supervisão do instrutor Major QOBM Hugo e do auxiliar da coordenação SGT Albuquerque, a fim de aprimorar técnicas e instruções de Combate à Incêndio.

Os alunos foram recebidos pelo Sub Oficial Marco Antônio, Sub Oficial Sousa e SGT Silveira em um auditório, onde foram repassadas informações acerca das técnicas utilizadas pela Marinha em caso de Incêndios em Aeronaves e Embarcações, além de uma explanação geral sobre o funcionamento do espaço e dos setores específicos do local.

No segundo momento, os alunos foram deslocados ao Pátio do CBINC (Combate ao Incêndio) onde puderam vivenciar a prática com simuladores de combate a incêndio em aeronaves de asa rotativa, Mangueiraozinho e praça de máquinas (espaço confinado), através das instruções do SGT Antônio Carlos que contribuiu sobre a importância de técnicas e conhecimentos adequados para uma eficiente atuação:

“Quando ocorre um incêndio em uma embarcação (principalmente em alto-mar), em um espaço confinado, não há muito que se pensar, o fogo precisa ser apagado. E para isso, uma série de medidas deve ser tomada, entre elas, o primeiro combate, através de “selagem” em que se utiliza jato neblinado na porta do compartimento, para evitar que o comburente entre no local de forma brusca, e evitar o backdraft. Há de se preocupar também, com o fato dos navios serem todos compartimentados, o que facilitaria a propagação do fogo para outros locais, principalmente por condução, e ainda, o esgotamento da água ao colocá-la no interior do navio, pois acaba comprometendo a estabilidade do mesmo”.

O AL CFP BM Figueiredo acrescenta ainda que: “Todas as práticas de Combate a Incêndio nos levam o mais próximo possível da realidade, sendo desta forma, válidas e enriquecedoras para a nossa preparação, uma vez que o Bombeiro Militar se depara com as mais diversas e imprevisíveis situações cotidianas, necessitando assim de domínio de técnicas e experiências para sua melhor atuação. Tudo isso tem sido proporcionado pra gente nesta disciplina, e principalmente a partir de olhares e perspectivas diferentes, como é o caso da prática de hoje na marinha, o que enriquece ainda mais nossa formação”.

Compartilhar: