CBMPA e CEDEC participam de ação conjuta de órgãos estaduais de combate ao Aedes aegypti

 Segundo o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros e Coordenador de Defesa Civil, Coronel Zanelli, a ação acontece devido ao estado de emergência declarado pelo Ministério da Saúde frente as doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti.

      

 

Mais de 30 bairros de Belém receberam a visita de 600 agentes de controle de endemias e 5.700 militares durante o Mutirão Nacional de Combate ao mosquito Aedes aegypti. As equipes percorreram as ruas da capital intensificando a orientação à população e a busca de criadouros do mosquito, que é transmissor da dengue, chikungunya e zika, e ainda está associado a casos de microcefalia em bebês.

Na Praça Batista Campos foi realizada uma cerimônia de abertura para o mutirão com a presença do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, governador do Estado, Simão Jatene, do ministro do Planejamento, Valdir Simão, e representante do Comando Militar do Norte, General Barcelos.

       

O ministro do Planejamento, Valdir Simão, falou sobre a importância do trabalho diário em busca de focos dentro das residências, que, segundo levantamento do Ministério da Saúde, abrigam 70% dos criadouros do Aedes. "Temos que erradicar os focos todos os dias. É  uma tarefa em que cada um tem que fazer a sua parte. Garantimos que não faltarão recursos públicos para o enfrentamento do zika vírus e do mosquito Aedes aegypti. Estamos num momento de emergência de saúde pública", garantiu.

Para o prefeito Zenaldo Coutinho, o momento é de união de esforços e de intensificação das ações que já ocorrem diariamente. Ele também lembrou que o município, em três anos, quase dobrou a quantidade de agentes de controle de endemias. Em 2013, eram pouco mais de 500 e, atualmente, ultrapassa o número de 800 agentes. "É um dia emblemático de reforço dessa causa importantíssima e união do poder público. Além das ações diárias, a prefeitura está fazendo um grande mutirão de combate ao despejo irregular de lixo, com apreensão de carrinhos e aplicação de multa ambiental. O despejo irregular de lixo, além de afetar a estética e a limpeza da cidade, hoje é potencial criadouro do mosquito e, consequentemente, um problema de saúde pública", alertou o prefeito.

Nas praças Batista Campos, República e Brasil foram montadas tendas para a orientação de combate ao mosquito, identificação entomológica e orientação médica. "É obrigação das Forças Armadas a defesa da sociedade, e esta é uma ação de defesa. Hoje nosso trabalho é de conscientização para ajudar a prevenir e não permitir que o mosquito nasça e se prolifere", afirmou o representante do Comando Militar do Norte, General Barcelos.

       

Foi criada a Sala de Situação pela SESPA (Secretaria do Estado de Saúde do Pará), instalada na Unidade de Referência Especializada (URE) da Avenida Presidente Vargas para o gerenciamento das ações de intensificação de combate ao mosquito da dengue. A coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, destaca também a composição da rede assistencial ao recém-nascido com microcefalia e gestantes, que oferece o serviço hospitalar, o protocolo de investigação e o atendimento específico para casos suspeitos. “Em 2015 foram 15 casos e do começo deste ano até agora foram três registros, sendo que nenhum desses números está associado ao zika vírus”, informou. Ana Cristina também informou que todas as crianças que apresentaram casos de microcefalia estão sendo atendidas e monitoradas pela Sespa.

Texto: ASCOM BM/5 / Agência Belém / Agência Pará

 

Fotos: SGT Carlos