Bombeiros orientam sobre prevenção no Círio

cirio 2011 2cirio 2011 3cirio 2011 6

O Corpo de Bombeiros apresentou, nesta terça-feira (13), as orientações sobre os procedimentos de prevenção que deverão ser adotados nos eventos relacionados às homenagens durante o Círio de Nazaré deste ano. Qualquer homenagem, durante todos os eventos da quinzena nazarena, desde a construção de uma arquibancada até shows pirotécnicos, precisará ter a autorização dos Bombeiros. A ação está sendo feita em conjunto com o Ministério Público e o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea).

 

 

cirio 2011 4cirio 2011 5cirio 2011 1

“Não somente neste evento, mas em vários que envolvem multidão, estamos associados ao Corpo de Bombeiros para que sejam tomadas providencias técnicas visando estabelecer normas de segurança, especialmente do ponto de vista preventivo”, explicou o promotor de Meio Ambiente e Urbanismo de Belém, Godofredo Santos.

 

O primeiro passo para conseguir autorização para fazer homenagens no Círio é apresentar, até 30 deste mês, o projeto ao Corpo de Bombeiros. Uma vez que a estrutura estiver montada, ela deverá passar, em até 48 horas antes do evento, pela vistoria final, para ser ou não liberada.

Mudanças – O diretor de Procissões do Círio 2011, Cléber Vieira, disse que a Diretoria da Festa sempre apresenta seus projetos para serem avaliados pelos Bombeiros, igual a todas as instituições que prestam homenagens à Nossa Senhora de Nazaré. Para ele, a iniciativa é louvável e tranquiliza a organização no que diz respeito à segurança do público que acompanha as procissões.

“Cada vez mais pessoas vêm participar do Círio, mas o nosso espaço físico é o mesmo; a quantidade de pessoas cresce, mas a cidade, não. Em nome da segurança, existem tradições que devem ser quebradas. A própria Diretoria da Festa, ao longo dos anos, vem fazendo isso. Quem não se lembra da berlinda atrelada na corda desde a saída da Catedral? Hoje, se fizéssemos isso, morreria gente”, ressaltou.

O conselheiro do Crea Carlos Brito diz que a principal dificuldade é conscientizar as instituições que fazem homenagens com fogos. “Todos querem lançar nem que seja um foguetinho em homenagem à Nossa Senhora, sem se dar conta de que apenas uma pistola pode causar um incêndio, como foi o da Casa Chama”, recordou.

Durante a reunião, foi apresentada a sugestão de que a queima de fogos feita em espaços públicos fosse transferida para balsas estrategicamente posicionadas, como medida de segurança e uma forma de liberar os corredores para o trânsito de pessoas, como a Praça dos Estivadores, onde acontece, desde 1947, uma das homenagens mais tradicionais do Círio.

Tradição – A proposta foi rechaçada pelo diretor administrativo do Sindicato dos Estivadores, Raimundo Nazareno Azevedo. “Isso não faz nenhum sentido”, disse. “É muito bom esse tipo de reunião, para que a homenagem saia dentro da legalidade. Antes soltávamos os fogos direto do chão, hoje eles saem dos andaimes a quatro metros de altura em respeito às normas. Não vamos, porém, soltar fogos na balsa”, reforçou.

O major do Corpo de Bombeiros Alessandre Brito disse que a corporação está voltada para o Círio. “Estamos tratando de ações preventivas e temos tempo hábil para analisarmos todos os eventos solicitados”, destacou. “A corporação está à disposição da população para esclarecer quaisquer dúvidas nesse primeiro momento, para que, em seguida, não tenhamos que entrar com ações coibitivas a alguma homenagem”, reforçou.

A falta de cumprimento das normas preventivas pode gerar penalidades, como a apreensão de equipamentos e materiais, pagamento de multas e responsabilidade criminal em caso de algum acidente. Além disso, quem vai prestar homenagem com fogos de artifício deve adquirir os produtos em lojas regularizadas. É importante verificar se o material está em embalagem em bom estado de conservação. Na caixa do produto deve ter, legíveis, selo, número de registro, tipo, quantidade e distância para lançamento, instruções que devem ser rigorosamente seguidas.

Fonte: Agência Pará

Fotos: Arquivo da ASCOM