50 mil pulseiras foram distribuídas na 1ª quinzena das férias

pulseiras 1pulseiras 2pulseiras 4
pulseiras 6pulseiras 3cmt geral 7
Durante as férias escolares, período em que as crianças muitas vezes frequentam ambientes que elas não conhecem e junto a isso sentem uma grande vontade de brincar e explorar, é também o período de maior índice de uma ocorrência muito comum para o Corpo de Bombeiros durante o veraneio, as crianças perdidas. No penúltimo final de semana, as praias paraenses receberam um público acima do esperado. Com o aumento de veranistas nas praias, o Corpo de Bombeiros intensificou o trabalho de prevenção. As equipes da Assessoria de Comunicação juntamente com a Defesa Civil Estadual começaram na sexta-feira (15) a distribuição de pulseirinhas de identificação no Terminal Rodoviário de Belém e nos Portos hidroviários da capital.
Segundo pesquisas, as crianças a partir dos 2 anos de idade tem em si uma vontade imensa de explorar o ambiente ao seu redor tanto pela sua hiperatividade típica da idade, quanto pelo comportamento expressivo de imitar as pessoas ao seu redor, combinação que as leva à várias consequências, nem sempre positivas.
Com expressiva preocupação, além do conhecimento comportamental dos banhistas durante o mês de julho, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará vem desde 2002 utilizando o sistema de identificação através das pulseiras. Naquele ano, o então Capitão Fernando Miranda, hoje Coronel do CBMPA, após uma viagem que realizara a um parque temático da Walt Disney, observou o sistema de identificação em sua essência e a efetividade, desde então a idéia do sistema tem sido de suma importância durante a prevenção nos balneários do Pará.
Conforme dados colhidos pelo Comando Operacional do Corpo de Bombeiros e analisados pela Assessoria de Comunicação e Marketing, o número de ocorrências na primeira quinzena de 2011 diminuiu 21% em relação à mesma quinzena de 2010, com um detalhe interessante, na primeira semana do julho deste ano não foram utilizadas as pulseiras de identificação. O número de crianças perdidas foi o dobro de 2010 (44 contra 20 em 2010). Apartir daí se utilizou a distribuição de pulseiras, vindo a diminuir expressivamente o número de casos nas semanas seguintes.
O Corpo de Bombeiros busca aperfeiçoar a prestação dos serviços, independente do período em que ocorra, conforme diz o Comandante Geral da Corporação - Coronel Costa, em uma entrevista cedida à equipe da ASCOM/CBMPA, “Nós não somos perfeitos, estamos aqui para trabalhar, e somos servidores públicos, vamos servir a sociedade.”, reforçando assim a visão gerencial dos dados obtidos em operações anteriores, que ao invés de permanecerem somente para registro estatístico estão sendo utilizado ano após ano para o aperfeiçoamento dos serviços prestados.
Tendo em vista a busca pela excelência no atendimento de prevenção, a ASCOM e a Defesa Civil Estadual, estabeleceram uma nova estratégia neste veraneio. A distribuição de material preventivo foi antecipada, sendo realizada a abordagem dos veranistas ainda nos terminais rodoviários e fluviais da região metropolitana de Belém. A estratégia se repetirá até final do mês e já vem provocando resultados claros por alcançar também os pontos onde às bases para a distribuição de pulseiras não estão instaladas.
Por tratar-se do órgão responsável pela salvaguarda das vidas e do patrimônio da sociedade paraense, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará busca cumprir sua missão de prevenir os sinistros, principalmente, ter a importância e resultados positivos quando vidas se encontram em risco nos mais diversos meios que o Estado do Pará, em suas dimensões continentais, oferece.
Para o Sargento Jorge as maiores ocorrências em Outeiro, Distrito de Belém, ainda são com crianças perdidas seguido de casos que envolvem o consumo de bebida alcoólica.
Como o número de crianças perdidas é a maior preocupação dos Bombeiros, a equipe da ASCOM ficou em um dos postos de atendimentos aguardando a chegada dos responsáveis do menor Yan Maciel, de 07 anos que conseguiu reencontrar sua tia Ozineide Pereira de Araujo. O encontro foi marcado pela emoção dos familiares em saber que a criança estava bem e aproveitou a ocasião para elogiar o trabalho dos bombeiros. “É muito importante essa iniciativa de vocês no uso das pulseirinhas, também dá segurança maior em saber que vocês estão na praia dando orientação pra gente” disse Ozineide.
No sábado (23) uma equipe da ASCOM realizou a identificação das crianças no Pórtico de entrada do Distrito de Mosqueiro, nas entradas do Atalaia, Corvinas, Marudá, Outeiro, mas a ação se intensificou mesmo foi na praia, onde a procura pelo material sempre aumenta.
Aproximadamente 50 mil pulseirinhas já foram distribuídas pelo Corpo de Bombeiros nos balneários e terminais desde o início do mês de julho.